Federação

A FPDA-Federação Portuguesa de Autismo é uma pessoa colectiva de direito privado com a natureza de instituição particular de solidariedade social, com sede em Lisboa. Foi fundada em 2003 mas iniciou as suas actividades em Janeiro de 2004.
Tem âmbito nacional e substitui a organização nacional APPDA, Associação Portuguesa para a Protecção aos Deficientes Autistas (anteriormente denominada Associação Portuguesa para a Protecção às Crianças Autistas), fundada em 1971, membro da Associação Internacional Autisme-Europe desde 1988. A Presidente da Federação foi Vice-presidente do Autisme-Europe de 1990 a 2008.
Os membros da Federação são ONGs do desenvolvimento, sem fins lucrativos, Instituições Particulares de Segurança Social, parcialmente financiadas pelo Ministério do Trabalho e da Segurança Social. O restante financiamento é feito através das cotizações dos membros, donativos e patrocínios.
A Federação Portuguesa de Autismo deve promover e apoiar as iniciativas dos seus membros e ajudar a implementar novas organizações. Representa os seus membros junto das organizações públicas e privadas, portuguesas ou estrangeiras que perseguem os mesmos fins.

MEMBROS FUNDADORES:

APPDA-Lisboa, Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo
APPDA-Norte, Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo
APPDA-Coimbra, Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo
APPDA-Viseu, Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo

 

 

MISSÃO
A Federação tem como missão a representação das Instituições suas filiadas por forma a defender incondicionalmente os direitos das pessoas com Perturbações do Espectro do Autismo, adiante designadas por PEA e das pessoas com elas significativamente relacionadas e a promover e garantir o exercício desses direitos.
A fim de cumprir a sua Missão, a FPDA aposta numa Equipa competente, desenvolve metodologias de trabalho destinadas ao apoio aos seus Associados e assume o compromisso de cumprir os requisitos da Norma NP EN ISO 9001, assim como a legislação e os regulamentos aplicáveis à sua atividade.
VISÃO
Ser reconhecida como a representante Portuguesa das associações de pessoas com perturbações do espectro do autismo (PEA)
VALORES
A Federação pauta a sua ação pelos valores da não discriminação, da solidariedade, da inclusão e do associativismo.
PRINCÍPIOS
A Federação respeita e dissemina os princípios consagrados na ordem jurídica nacional, designadamente na Constituição Portuguesa, e na ordem jurídica internacional, nomeadamente na Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, aprovada pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas e ratificada por Portugal, na Carta para as Pessoas com Autismo, aprovada no Congresso de Autism Europe e adotada pelo Parlamento sob a Forma de Declaração Escrita e Declaração Escrita sobre Autismo, tanto no que se refere aos direitos individuais quanto aos direitos Das organizações representativas dos titulares de interesses.

A melhoria de qualidade apoia-se na partilha de experiências, de conhecimentos e na cooperação dos membros da FPDA. Esta melhoria está integrada num processo contínuo, plenamente assumida por todos os órgãos dirigentes e pessoas, num compromisso pela melhoria contínua do Sistema de Gestão da Qualidade.

POLITICA DA QUALIDADE
É Política da Qualidade da Federação Portuguesa de Autismo garantir a satisfação dos seus clientes através de um comportamento eficiente que conduza a uma actuação eficaz em todos os processos do SGQ.

Os processos de formação e inclusão são conduzidos com o dinamismo necessário para atingir resultados inovadores que conduzam à mudança visando sempre a Política da Qualidade.
A melhoria de qualidade apoia-se na partilha de experiências, de conhecimentos e na cooperação dos membros da FPDA - Federação Portuguesa de Autismo. Esta melhoria está integrada num processo contínuo, plenamente assumida por todos os órgãos dirigentes e colaboradores, num compromisso pela qualidade.
As parcerias com outras organizações contribuem para que a FPDA - Federação Portuguesa de Autismo e os seus clientes desenvolvam uma cultura de qualidade na prossecução da Missão que se propuseram cumprir. Visam o enriquecimento do conhecimento comum e contribuem para o desenvolvimento das boas práticas que estão de acordo com as políticas comuns de inclusão e solidariedade, cultivando sempre a cooperação e o associativismo que têm como valores de base.